À Beira da Estrada


À Beira da Estrada

Nas viagens por rodovias
Ninguém costuma olhar
O que está a sua volta,
Parar, nem pensar!
A meta é chegar ao destino,
Às vezes, com desatino,
Você pode acreditar.

Então, eu vou mostrar agora
Esse mundo paralelo
Que está do lado de fora;
Pois é isso que mais quero;
Ver com o olhar diferente
O que passa por a gente,
De você é o que eu espero.

O que não é bom e belo
Também pode ser mostrado;
Não é minha intenção
Omitir, ficar calado;
Tomar a iniciativa
Pra reforçar a narrativa,
E revelar o que é velado.

Caatinga, cercas e caminhos,
Numa cena nordestina;
Carroça, gado e terra
Para o trabalho se destina;
Nuvens e sol sem igual,
Paisagens, inspiração natural;
Do sertão que me fascina.

Sertão do Pajeú, PE – Brasil
2017 © Elias Oliveira

Compartilhe este conteúdo